O papa Francisco afirmou neste domingo (18) que o Evangelho “não autoriza o uso da força para defender a fé”.

Em discurso a fiéis na praça São Pedro, no Vaticano, o Pontífice disse que, segundo o Evangelho, a “verdadeira força do cristão é a força da verdade e do amor, o que significa renunciar a todas as formas de violência. Fé e violência são incompatíveis”.

Francisco também defendeu que “a fé não é uma coisa decorativa, ornamental. Viver a fé não é decorar a vida com um pouco de religião, como se fosse um bolo decorado com creme”. No mesmo discurso, feito durante a celebração do Ângelus, o Papa voltou a pedir o fim da violência no Egito, onde centenas de pessoas morreram ao longo da semana em confrontos entre militares e partidários do presidente deposto Mohamed Morsi.

“Continuamos rezando pela paz no Egito”, disse Francisco. Ontem, o Vaticano informou que o Pontífice acompanhava “com preocupação” o desenvolvimento dos confrontos no Egito. “O Papa continua acompanhando com crescente preocupação as graves notícias sobre o Egito, e continua rezando e desejando que seja encerrada a violência e que as partes escolham o diálogo como forma de reconciliação”, informou um comunicado.

[b]Fonte: Ansa[/b]