Sinagogas reservarão gratuitamente alguns lugares nas festas de Ano Novo para pessoas distantes da religião. Entidade publicou carta aberta ontem; objetivo, segundo o presidente da Federação Israelita, é “chacoalhar as pessoas”

A Federação Israelita do Estado de São Paulo decidiu chamar “judeus não-praticantes” para participar das principais festas da religião, que começam nesta segunda-feira.

Ontem, a entidade publicou na Folha anúncio com o título “Carta aberta a todos os judeus não-praticantes de São Paulo”, com o convite para que seja visitada uma sinagoga já na segunda-feira, véspera do Ano Novo judaico.

A federação diz que as sinagogas reservarão lugares gratuitamente aos interessados. Em geral, para que o convidado consiga um lugar sentado, as sinagogas pedem taxas para manutenção ou cobram pelo convite da cerimônia religiosa nas chamadas grandes festas -Rosh Hashaná (Ano Novo) e Iom Kipur (Dia do Perdão).

“É uma época de reflexão. Entre Rosh Hashaná e Iom Kipur, se faz um balanço da vida. Às vezes, precisamos chacoalhar as pessoas, lembrá-las de praticar o judaísmo, que, além de uma religião, é uma filosofia de vida”, afirmou o presidente da federação, Boris Ber.

A iniciativa foi sugerida pelo Grupo de Trabalho para o Fortalecimento do Judaísmo, criado pela entidade no início do ano. “O chamamento não ocorre porque estamos perdendo participantes nas festas. Pelo contrário, no ano passado tivemos um número recorde. Mas o grupo identificou que há uma parcela de pessoas um pouco distantes”, disse Ber.

Fonte: Folha de São Paulo