Crença, fé e até mesmo curiosidade motivam milhares de pessoas a fazer romaria a uma residência no Bairro Vilas Boas, em Campo Grande, onde há imagem de Nossa Senhora de Fátima que os donos revelam verter mel desde maio deste ano.

Para devotos, trata-se uma manifestação divina, entretanto, parapsicólogos encontram na ciência a explicação para o fenômeno. Pós-graduado em parapsicologia, o padre Milton Munaro, da Paróquia de São Joaquim da cidade paranaense de Verê, afirma que pode ter ocorrido inicialmente um aporte, fenômeno em que uma pessoa abalada psicologicamente consegue fazer, por exemplo, com que algo se mova de um lugar para outro.

Em visita a Campo Grande, no mês de agosto, Munaro foi à casa “para ver que tipo de truque era”, disse à reportagem do Campo Grande News. Ele afirma não ter dúvida de que “estão colocando mel” na imagem.

Munaro explica que o aporte é um fenômeno que não acontece continuadamente e que quando ocorre não ultrapassa 15 minutos. “No começo pode até ter sido um aporte, mas agora não”, acusa.

De acordo com o parapsicólogo, em todo o mundo não existe comprovação científica de que uma imagem tenha transpirado qualquer substância, seja mel, sangue ou água. Ele explica que todos os casos são fenômenos que contam com a participação humana.

Conforme Munaro, o fenômeno do aporte é provocado por descarga psíquica proveniente de uma pessoa que esteja a menos de 50 metros da imagem. Ele pontua que a família não se afasta da casa e que só abre para visitação no período da tarde, ou seja, ficam à noite e de manhã sozinhos no local, sugere. Munaro esclarece ainda que a descarga psíquica é feita por telergia – como um raio – que exige muito da pessoa.

Para concluir, Munaro destaca que a parapsicologia é a ciência que estuda os fenômenos que parecem misteriosos mas que são resultados das faculdades de pessoas vivas. “É uma ciência que tira pessoas da superstição e do misticismo”, completa.

Fonte : Campo Grande News