Marguerite Rea, da Igreja Anglicana de St Peter, em Toronto pediu desculpas por haver dado a comunhão a um cachorro.

A reverenda recebeu reclamações de cristãos em todo o Canadá após ter dado a hóstia a um cachorro da raça pastor alemã chamado Trapper.

O bispo da região, Patrick Yu, disse que a reverenda tinha desrespeitado as normas da igreja com sua ação “estranha e chocante”.

Rea disse que tinha simplesmente feito um gesto acolhedor para um novo membro da congregação e seu bicho de estimação.

“Se magoei, ofendi ou causei constrangimento a alguém, peço desculpas”, ela disse aos fiéis no domingo pela manhã – segundo o jornal Toronto Star.

[b]Polêmica canina [/b]

A polêmica começou em junho, quando Trapper, de quatro anos, e seu dono, o motorista de caminhão, Donald Keith, de 56 anos, foi pela primeira vez à missa de Rea, na área central de Toronto.

“A pastora me deu as boas-vindas e disse que eu fosse até o altar receber a comunhão, Trapper veio junto e a reverenda também deu a comunhão a ele”, afirmou Keith.

Apesar de, segundo Keith, ninguém ter reclamado na hora, uma testemunha do fato entrou com uma reclamação na Diocese Anglicana de Toronto e, desde a missa, deixou a igreja.

Quando a notícia se espalhou, a Igreja Anglicana de St Peter começou a receber emails de cristãos revoltados, de todo o país.

“A comunhão é um símbolo do sacrifício do corpo de Jesus: ele morreu por todos nós. Mas não me lembro de nada nas escrituras a respeito de Jesus morrendo pela salvação de nossos bichos de estimação”, afirmou Cheryl Chang, diretora da Rede Anglicana, no Canada, de acordo com o jornal National Post.

“Posso compreender a razão de as pessoas estarem ofendidas”, disse o bispo Patrick Yu.

“Nunca ouvi falar disso antes. Acho que a reverenda foi tomada pelo que considero um gesto mal orientado de boas-vindas”, acrescentou.

[b]Fonte: Estadão[/b]