A suposta aparição da “Sagrada Família” nos panos que cobrem um altar na igreja de São Brandão, em Miami (Estados Unidos) mobilizou os fiéis católicos, que formam fila para contemplar o fenômeno.

Na semana passada, várias pessoas que estavam rezando no interior do templo perceberam na toalha branca do altar a sombra da “Sagrada Família: Nossa Senhora, São José e o Menino Jesus”.

A notícia se espalhou rapidamente pela cidade. As pessoas formaram filas para verificar se o fenômeno é uma aparição milagrosa ou um produto da imaginação e do fervor religioso.

Incrédulos e crentes vão até o local da suposta aparição, muitos deles munidos de telefones celulares com câmeras, prontos para fotografar a imagem e encontrar uma explicação, seja religiosa ou natural.

Para a maioria dos crentes, é um mistério religioso que incentiva o recolhimento espiritual, a devoção e a possibilidade de um encontro pessoal com Deus.

“As experiências religiosas são muito pessoais”, disse à Efe o sacerdote católico Fernando Hería, pároco da igreja de São Brandão.

Ele não quis opinar se o “enigma” é um fenômeno milagroso ou um fato natural e cientificamente explicável.

Hería lembrou que a “Igreja Católica é muito cautelosa” com as aparições e antes de anunciar um milagre deve promover uma “rigorosa investigação”.

O porta-voz da Arquidiocese de Miami não descartou a possibilidade de milagre ou fenômeno paranormal. Ele admirou o “respeito” com que os fiéis entram na capela, “se ajoelham e rezam”.

Na sua opinião, o fenômeno é “um chamado de Nosso Senhor Jesus Cristo à oração”, que atrai “todo tipo de pessoas, de diferentes nacionalidades e crenças”. Todas, apontou, fazem parte da “família de Deus”.

“Para mim é um milagre. Dá para ver muito claramente que é a Sagrada Família”, comentou à saída da igreja Eliana Justo, de 71 anos. Ela afirmou que, ao ver a imagem, ficou profundamente comovida.

Justo, de origem cubana, considerou que o sentido do milagre é muito próximo ao espírito do Natal. “A Sagrada Família quer que as famílias se unam, se amem e encontrem a paz”, disse.

A sua neta, María Teresa Justo, de 26 anos, levando nos braços uma filha de apenas 5 meses, concordou com a avó. Ela afirmou que distinguiu a imagem de Nossa Senhora com clareza e acrescentou que orou pedindo à Sagrada Família “pela saúde de todos e pela paz em Cuba”.

Fonte: EFE