A Fifa fez questão de se envolver na polêmica em torno das declarações homofóbicas da técnica da Nigéria, Eucharua Uche.

A entidade máxima do futebol condenou o discurso da comandante da equipe feminina após ela afirmar no último fim de semana que o homossexualismo é “algo sujo”.

“A Fifa se posiciona contra qualquer forma de discriminação. Estamos em um grande evento organizado pela Fifa e seria melhor se as pessoas se manifestassem de maneira neutra”, afirmou Tatjana Hännim reponsável pelo futebol feminino da entidade.

A polêmica começou em meio à Gay Pride, que aconteceu nas ruas de Berlim, capital da Alemanha, um das cidades-sede do Mundial. A treinadora condenou o evento em entrevista ao jonal Bild.

“O homossexualismo é algo sujo. Espiritualmente e moralmente, é algo muito, muito equivocado”, comentou Uche.

A comandante da Nigéria no Mundial também afirmou que não já tinha contado com o auxílio de pastores e conselheiros religiosos para evitar a presença de homossexuais no seu vestiário por meio de orações.

[b]Fonte: UOL[/b]