Hillary e Bill Clinton com a filha Chelsea Clinton
Hillary e Bill Clinton com a filha Chelsea Clinton

Numa troca de mensagens no Twitter em 2 de janeiro, Chelsea Clinton, filha de Bill Clinton (Ex-presidente dos EUA) e Hillary Clinton (candidata a presidência dos EUA que perdeu para Donald Trump em 2016) desejou um feliz ano novo à Igreja do Satã, dizendo: “Faz tanto tempo!”

A Igreja do Satã respondeu: “O mesmo para você, aqui está um grande 2018!”

Um usuário do Twitter escreveu: “Uau. A filha de Hillary Clinton envia saudações no Twitter para a Igreja do Satã. Infelizmente, ninguém está surpreso.”

Chelsea Clinton enfrentou uma controvérsia semelhante no passado, quando usou um colar com uma cruz invertida, um símbolo do anticristão.

Outros usuários apontaram para o ex-chefe de campanha de Clinton, John Podesta, e seu intercâmbio de e-mails com seu irmão, o lobista democrata Tony Podesta e a artista de exibições sinistras Marina Abramović sobre participarem de um evento de “culinária do espírito”.

Na troca de e-mail de 2015 vazada pelo WikiLeaks, Tony Podesta pergunta a John Podesta se ele participará do “jantar”, com o e-mail de Abramović afirmando: “Estou tão ansiosa pelo jantar de Culinária do Espírito na minha casa. Você acha que poderá me informar se seu irmão participará?”

Os jantares de “culinária do espírito” envolvem o uso de sangue, esperma e leite materno, e os participantes se envolvem em outras atividades sinistras.

Hillary Clinton também foi criticada no passado por citar o radical comunista Saul Alinsky como um de seus mentores. Alinsky, infamemente, dedicou a Lúcifer seu livro “Regras para Radicais”.

Durante a eleição de 2016, o secretário de habitação e desenvolvimento urbano e ex-candidato presidencial republicano Ben Carson disse na Convenção Nacional Republicana: “Este [Alinsky] era alguém que ela admirava muito, e isso afetou todas as suas filosofias posteriormente.”

“Estamos dispostos a eleger alguém como presidente que tem como modelo uma pessoa que reconhece Lúcifer?”, disse Carson. “Pensem sobre isso.”

Fonte: Epoch Times