O governo da Holanda convocou nesta quinta-feira o deputado de extrema direita Geert Wilders devido às preocupações suscitadas em relação às conseqüências de um filme, realizado por ele e repleto de críticas ao Islã, a ponto de os talibãs ameaçarem as tropas holandesas no Afeganistão.

No entanto, Wilders se disse “determinado” a divulgar o filme no qual trabalha desde meados de 2007 e que, segundo ele, mostrará o caráter “fascista”, segundo ele, do Alcorão.

Ele também foi alertado das conseqüências políticas e econômicas para a Holanda e das ameaças para as instituições holandesas no exterior, informou o ministério.

Em Cabul, um porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou à AFP que se o “filme insultante” for divulgado, os talibãs aumentarão seus ataques contra os 1.665 militares holandeses mobilizados no Afeganistão integrando a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf).

Em novembro, o governo já havia convocado Wilders após o anúncio de seu projeto, e em janeiro, as eventuais conseqüências foram evocadas durante um conselho dos ministros com o objetivo de preparar as autoridades para as possíveis reações de ira dos muçulmanos.

O vídeo de quinze minutos, intitulado “Fitna” (em árabe: divisão e discórdia em meio ao Islã), será concluído no final de semana e divulgado em março em um site da internet, indicou o deputado.

Fonte: AFP