Murray Lipnik, ex-sócio da revista erótica Hustler, confirma que já está trabalhando na cinebiografia do líder da Igreja Universal do Reino de Deus.

A Record escolheu para produzir o filme da vida de Edir Macedo um profissional que já teve relações com a indústria da pornografia. Ex-sócio de Oscar Maroni Filho na versão brasileira da revista erótica Hustler, Murray Lipnik confirma que já está trabalhando na cinebiografia do líder da Igreja Universal do Reino de Deus. “Estamos vendo escritor, trabalhando na pré-produção”, diz. Como produtor, ele será sócio da Record no longa-metragem que contará a saga de Macedo.

A Hustler é considerada a mais agressiva, explícita e polêmica das revistas eróticas. Nos Estados Unidos, foi a primeira a exibir pelos pubianos e homens nus. Chegou a ter 3 milhões de exemplares, mas hoje dificilmente passa dos 100 mil. Foi fundada por Larry Flynt, retratado como defensor da liberdade de expressão no filme O Povo Contra Larry Flynt (1996), de Milos Forman.

No Brasil, a Hustler foi lançada em 1998. Circulou até o início dos anos 2000. Dono do lendário bordel de luxo Bahamas, em São Paulo, Oscar Maroni Filho confirma a participação de Lipnik na Hustler brasileira. “Ele era conhecido do Larry Flynt e nos apresentou em Las Vegas.
Compramos os direitos da revista no Brasil. Eu que assumi toda a revista. Ele era sócio, mas não fazia nada”, lembra.

Lipnik é dono da Swen Group, uma produtora e distribuidora de filmes independentes com escritórios em São Paulo, Rio, Los Angeles e Miami. Seus negócios com a Record vêm de longa data. Nos anos 1990, ele comprava filmes para os bispos, quando a emissora não tinha acesso ao mercado internacional. Já Mais recentemente, foi contratado pela Record para produzir da versão longa-metragem da série A Lei e o Crime, que não vingou.

Atualmente, a Swen distribui no mercado brasileiro filmes independentes americanos. Seu catálogo tem filmes muito ruins, como Os Mercenários, de Sylvester Stallone, e longas cult, tal qual Um Método Perigoso, com Michael Fassbender.

As produções próprias da Swen não têm nada a ver com o público evangélico da Igreja Universal. São filmes obscuros de ação feitos no Brasil e voltados para o mercado B externo. Journey to the End of the Night (Viagem ao Fim da Noite, literalmente), por exemplo, traz Brendan Fraser como dono de um bordel em São Paulo, numa fita que mistura sexo (um africano morre transando com um travesti), violência e tráfico de drogas.

[b]Wagner Moura como Edir Macedo
[/b]
Murray Lipnik confirma o “sonho” da Record em ter Wagner Moura no papel de Edir Macedo. Diz que vai se reunir nos próximos dias com o agente do ator para definir se ele fará ou não o longa-metragem.
Dentro de duas ou três semanas, de acordo com Lipnik, deverão ser escolhidos também o diretor, o roteirista e o editor do filme .

O longa será baseado nas biografias O Bispo e Nada a Perder, de Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record. A ideia é lançar o filme no máximo até 2016. A expectativa da Record e fazer pelo menos 5 milhões de espectadores nos cinemas.

A Record não se manifestou sobre a contratação de Murray Lipnik.

[b]Fonte: Fátima News[/b]