Microchip na pele
Microchip na pele

Milhares de cidadãos suecos têm microchips implantados sob sua pele para substituir cartões de crédito, chaves e identificação pessoal – uma ação invasiva que certamente atrairá a preocupação de defensores da privacidade e talvez também de teólogos estudiosos da escatologia.

A agência de notícias AFP, informou que cerca de 3.000 cidadãos  deram o passo de uma “sensação de conveniência”.

“Os suecos se tornaram muito ativos no microchip, com escasso debate sobre questões relacionadas ao seu uso, em um país interessado em novas tecnologias e onde o compartilhamento de informações pessoais é apresentado como um sinal de uma sociedade transparente”, informou a AFP.

Ulrika Celsing, uma sueca de 28 anos, tem um microchip na mão. Para entrar no trabalho, ela acena com a mão na frente de uma caixa e digita um código, informou a AFP. Nenhuma chave ou cartão de identificação físico é necessário.

“Foi divertido tentar algo novo e ver o que se poderia usar para tornar a vida mais fácil no futuro”, disse ela. O chip também substituiu seu cartão de ginástica, informou a AFP.

A ferrovia nacional da Suécia permite que as pessoas usem microchips no lugar de ingressos. Os clientes podem subir no trem com a mão digitalizada.

Victor Tangermann, do Futurism.com, expressou preocupação com a tecnologia, que usa comunicação de campo próximo (NFC) e “pode ser hackeada com o uso de um leitor especializado e muitas habilidades de codificação”.

“Os smartphones abordaram esse problema de segurança combinando a tecnologia NFC com leituras biométricas, como sua impressão digital”, escreveu ele. “Mas microchips como esses não têm essa segurança, o que poderia tornar suas informações pessoais mais vulneráveis ​​a hackers”.

Alguns pastores e teólogos que estudam escatologia acreditam que o microchip terá um papel no fim dos tempos, embora por sua interpretação bíblica pareça diferente do que ocorre na Suécia. O pastor John Hagee disse em 2012 que o problema começa “quando a nação e o governo começarem a forçar você a usar um chip e eles começarem a forçá-lo a manter leis que você não quer manter”.

Em 2017, o pastor Dave Doyle,  da Hope Christian Fellowship Church, em Iowa, ganhou as manchetes quando alertou contra o implante de microchips. Ele estava fazendo referência a uma empresa que permitia que os funcionários usassem microchips para identificação.

“Eu tomo o microchip como uma forma da marca. Há muitos pedaços da marca e, novamente, todas essas peças da marca são projetadas para controlar”, disse ele, de acordo com CBN.com.

A tecnologia, ele disse, poderia ser usada pelo governo.

“Eventualmente, será algo obrigatório e, para aqueles que recusarem, você terá que lidar com as autoridades que não apreciam suas opiniões”, disse ele.

O versículo frequentemente referenciado nas discussões sobre o microchip é Apocalipse 13:16, que diz que a besta “obrigou todos os povos, grandes e pequenos, ricos e pobres, livres e escravos, a receber uma marca em suas mãos direitas ou em suas testas”.

O “GotQuestions.org”, um popular site cristão, disse que “a marca da besta será algo dado apenas àqueles que adoram o Anticristo”.

“Ter um microchip médico ou financeiro inserido em sua mão direita ou testa não é a marca da besta”, disse o site. “A marca da besta será uma identificação do fim dos tempos exigida pelo Anticristo para comprar ou vender, e será dada somente àqueles que adoram o Anticristo.”

Fonte: Christian Headlines