A Igreja Católica denunciou nesta quinta-feira que pelo menos 5 milhões de colombianos passam fome e que a falta de comida afeta especialmente para a população infantil, ao anunciar o início de uma campanha em conjunto com as Nações Unidas para combater o drama.

“Queremos chamar atenção para o fato de que pelo menos 5 milhões de colombianos vão dormir todos os dias com fome”, disse o diretor da Pastoral Social da Igreja Católica, monsenhor Héctor Fabio Henao.

Ele acrescentou que pelo menos “33% dos menores de 4 anos, 1,3 milhão de crianças, sofrem de anemia aguda”. “Podemos dizer que o país está sacrificando seu futuro, pois cada criança que cresce nestas condições será um adulto com limitações”, acrescentou Henao.

“É preciso fazer um forte apelo à consciência dos colombianos sobre sua realidade social e o que podemos fazer para evitar que este drama continue aumentando”, disse Henao, ao citar números do Instituto Colombiano de Bem-estar Familiar (federal) e do Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU.

Segundo estes números, “temos 6 a 7 milhões de pessoas a mais com riscos de cair em situação de fome”, alertou, afirmando que o problema afeta especialmente as crianças e a população deslocada por causa da guerrilha.

Henao disse que junto com o PMA foi iniciada uma campanha para distribuir em cinco regiões do país um total de 5.621 toneladas de alimentos para as famílias mais afetadas.

Ele destacou que o problema da fome está estreitamente vinculado na Colômbia com o fenômeno do deslocamento causado pela violência e pela pobreza que afeta quase a metade dos 41,7 milhões de habitantes do país.

Só na capital colombiana, 8% de seus sete milhões de habitantes são afetados pela fome e a prefeitura da cidade criou um programa para atender 263.000 pessoas com refeitórios comunitários.

O relatório sobre a fome na Colômbia foi divulgado no âmbito da assembléia anual da Conferência Episcopal Colombiana, na qual os 90 bispos do país se reúnem para fazer um pronunciamento sobre a situação do país e que deve ser encerrada nesta sexta-feira.

Fonte: EFE e AFP