No encerramento do V Encontro Centro-Americano de Pessoas que Convivem com o HIV-Aids (Concasida), reunido no dia 9 de novembro nesta capital, durante o desenvolvimento de um fórum entre religiosos, foi divulgada proclamação ecumênica pedindo diálogo entre as igrejas tradicionais e as pentecostais para fortalecer a unidade na luta contra a epidemia do HIV-Aids.

O teólogo e escritor nicaragüense, Carlos Salinas, disse que é hora das igrejas se unirem e procurarem o diálogo para combater essa epidemia que, a cada dia, prolifera-se na região da América Central.

A proclamação ecumênica reconhece que o testemunho de pessoas que convivem com o HIV/Aids “foi uma luz que nos evangelizou e que nos levou a ler com olhos novos as Sagradas Escrituras”.

Os religiosos reconhecem a importância de dirigir as ações da igreja no campo da prevenção para a transformação dos fatores de vulnerabilidade social que condicionam as novas infecções. “Sentimo-nos convidados a aumentar nosso diálogo com os governos e outras organizações da sociedade civil no trabalho de combate ao HIV/Aids, para procurar, a partir do que nos une, caminhos, sinergia, solidariedade frente à pandemia.”

A proclamação foi assinada por delegados de associações e ONG’s que trabalham em HIV/Aids no México, América Central, Bolívia, Peru e Paraguai. Entre as igrejas signatárias está o Ministério Episcopal, de Honduras, Igreja Luterana Morava, da Nicarágua, Cáritas Arquidiocesana de Honduras, Cáritas Mexicana e a Comissão Episcopal da Guatemala.

Fonte: ALC