Agentes da alfândega francesa confiscaram garrafas de água benta de peregrinos que voltavam para a Itália, após terem participado do vôo inaugural de Roma, na Itália, para Lourdes, na França, na última segunda-feira (27), realizado por uma companhia contratada pelo Vaticano.

As atuais normas de segurança proíbem o transporte de líquidos dentro das aeronaves, segundo o jornal italiano “Corriere della Sera”.

Um dos passageiros do vôo preferiu beber a água contida na garrafa a entregá-la aos agentes, informou o jornal.

Os passageiros do primeiro vôo do Vaticano a Lourdes ficaram surpresos com a apreensão da água da gruta de Maassabiele –onde em 11 de fevereiro de 1858, segundo a Igreja Católica, a camponesa Bernadette Subirous presenciou uma aparição da mãe de Jesus Cristo.

O vôo inaugural do serviço de fretamento da companhia Mistral Air, em colaboração com o Vaticano, decolou na última segunda-feira do Aeroporto de Fiumucino, nos arredores de Roma, com destino a Lourdes, levando à bordo o cardeal Camillo Ruini, vigário de Roma.

A Mistral Air foi fundada em 1981 pelo ator italiano Bud Spencer e agora pertence ao grupo Poste Italiane (correios italianos). A companhia assinou um acordo de cinco anos com um órgão do Vaticano para realizar o serviço.

O avião previsto para esse acordo é o Boeing 737-300, que descolará dos aeroportos italianos de Roma, Verona, Bari, Brindisi, Lamezia Terme, Catania e Ancona.

Os destinos destes vôos especiais, que serão regulares a partir de 2008, serão os principais santuários e lugares de peregrinação dos católicos, como Lourdes, Fátima (Portugal), Santiago de Compostela (Espanha), Guadalupe (México) e Czestochowa (Polônia).

A previsão é de que a partir de 2008 cerca de 150 mil passageiros usem o serviço anualmente.

Fonte: Folha Online