Uma freira supostamente estuprada por hindus há dois meses saiu a público pela primeira vez desde o incidente nesta sexta para pedir ação à polícia de Nova Délhi, que, segundo ela, trata os acusados como “amigos”. A informação é do Indian Express.

Com o rosto coberto, Irmã Meena concedeu entrevista à imprensa em que leu uma declaração dizendo que foi arrastada por um grupo de aproximadamente 50 pessoas, teve sua roupa rasgada e foi estuprada.

“Eles tiraram minha roupa e enquanto um segurava meu braço direito e outro meu braço esquerdo, um terceiro me estuprava”, disse.

A freira, que optou por não aparecer depois de violentada, decidiu dar a declaração dois dias depois de o Supremo Tribunal ter assumido o inquérito e pedido que ela cooperasse com a polícia.

“A polícia estadual não conseguiu deter os criminosos, não conseguiu me proteger deles. Eram amigáveis com os agressores”, disse a religiosa à imprensa, que não lhe fez perguntas.

Fonte: Terra