O fundo de pensão vai arregimentar pastores, obreiros, outros membros da igreja evangélica e fiéis de todas as suas ramificações.

O número de adeptos da comunidade evangélica brasileira aumentou 61,45% em 10 anos, segundo os últimos dados do Censo Demográfico divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com base nisso, a Rodarte Nogueira, empresa especializada em estatística e atuária, desenvolveu, em parceria com o IBEMP (Instituto Evangélico Memória Pastoral), um projeto inédito de fundo de pensão para arregimentar pastores, obreiros, outros membros da igreja evangélica e fiéis de todas as suas ramificações.

De acordo com comunicado, a finalidade principal do fundo é contribuir com a qualidade de vida dos associados ao IBEMP ou por meio do pagamento de aposentadoria aos associados das instituidores que se tornarem participantes. “Em pouco tempo, o BemPrev deve se tornar a maior previdência em números de adesões do país. As projeções apontam, no mínimo, um patrimônio de R$ 1 bilhão e cerca de 170 mil associados em seis anos”, afirmou o Diretor-Geral da empresa de consultoria, João Rodarte.

O empreendimento, que terá atuação nacional e sede em Belo Horizonte, foi anunciado oficialmente nesta setxa-feira (04) em Brasília, na Superintendência Nacional de Previdência Complementar- PREVIC.

[b]Diferenciais do fundo
[/b]
De acordo com Rodarte, o grande diferencial do fundo será a baixa taxa de administração. “A previdência privada vai operar com 1% do valor do investimento do contribuinte, um custo considerado baixo se compararmos à previdência aberta. Outra característica que diferencia este fundo de pensão do restante é a conversa direta com os evangélicos. Eles terão acesso à cultura de poupança, comportamento raro em um país que está acostumado a pagar juros de cheque especial ao invés de economizar e investir”, explicou.

O projeto envolve uma equipe de dois mil vendedores, que deve começar nos próximos meses um périplo por igrejas evangélicas pelo Brasil.

Visando oferecer maior segurança ao contribuinte e garantir a transparência das aplicações das contas do fundo de pensão, está em fase de negociação parcerias com bancos consolidados nacionalmente. A instituição financeira escolhida será responsável por todo o sistema de cobrança.

[b]Fonte: UOL[/b]