As baixas audiências e as reclamações nas redes sociais fizeram com que a Rede Globo voltasse atrás e suspendesse as cenas de carinhos e beijos trocados pelo casal lésbico da novela das 21h.

“Babilônia” estreou mostrando um beijo entre duas atrizes veteranas Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg que vivem um romance na novela. O último beijo entre as duas foi ao ar no terceiro capítulo e não deve se repetir.

Segundo o site Notícias da TV a direção da emissora carioca fez uma pesquisa com telespectadores que disseram aceitar o relacionamento das duas mulheres, mas não são a favor dos beijos entre as duas.

“Os espectadores rejeitam manifestações de carinho físico. Carinho verbal elas aprovam. Então, vamos evitar os contatos físicos entre as duas personagens daqui pra frente. A trama não muda. Não há rejeição a elas nem à temática”, disse Ricardo Linhares, coautor da novela.

“Babilônia” vai mostrar, porém, o casamento entre as duas mulheres, após a juíza declarar que elas estão casadas as duas trocarão um rápido selinho, mas é possível que a cena seja cortada da novela.

A dupla vai ficar alguns capítulos sem aparecer, mas faz parte do roteiro pré-determinado e não tem ligação alguma com essa rejeição do público.
Mas engana-se quem pensa quer apenas o casal lésbico da novela terá sua história alterada. A personagem de Sophie Charlote não será mais prostituta e a de Glória Pires não será mais uma “pegadora” compulsiva.

[b]Magno Malta comemora decisão da Globo[/b]

Após questionar a classificação indicativa da novela, o senador Magno Malta (PR-ES) gravou um vídeo comemorando a mudança da Rede Globo em relação ao casal homossexual e também em relação as outras personagens polêmicas.

Malta questionou no Plenário que com base nas normas brasileiras as cenas da novela “Babilônia” teriam que ter classificação indicativa para 18 anos e não 14 como foi classificada.

O senador chegou a ler as normas e mostrar os pontos da novela que mostravam que ela não poderia ser exibida nem mesmo para adolescentes de 16 anos.

“Não sei se foi por causa do meu pronunciamento e a minha documentação ao ministro”, disse o parlamentar evangélico se referindo ao ministro da Justiça José Eduardo Cardozo que é o responsável pela classificação indicativa das obras que são distribuídas no país.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]