O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), defendeu nesta quarta-feira a legalização do aborto como um meio para reduzir a violência.

Segundo Cabral, o índice de natalidade nos bairros de classe média para cima têm um padrão europeu, enquanto nas periferias e favelas os níveis são comparados ao de países africanos.

“Se você for ver o número de filhos por mãe na Lagoa, Copacabana, Méier ou Tijuca, é padrão de país nórdico. Você pega uma favela ou uma área carente, o padrão é africano”, disse o governador, após participar da abertura de um congresso da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav).

O governador afirmou ainda que uma mãe jovem de muitos filhos normalmente não tem condições de dar uma boa educação às crianças, aumentando as chances de os filhos ingressarem no crime.

Apesar de se dizer pessoalmente contra o aborto, Cabral defendeu que as mães deveriam ter o direito de interromper uma gravidez indesejada.

“Não é questão de mãe pobre ou mãe rica. Não é ideologia, é legalizar o aborto em hospitais públicos e privados para dar o direito à mãe de ter ou não esse filho”, acrescentou o governador, que ficou irritado ao ser questionado por repórteres se não estaria sendo preconceituoso.

Na defesa do apoio ao aborto, Cabral citou uma pesquisa feita nos Estados Unidos na década de 1970 que fazia uma relação entre natalidade, pobreza e violência.

Fonte: Reuters