O governador do Estado mexicano de Coahuila, Humberto Moreira, disse estar convencido que nesta Província, localizada no norte do país, “a discussão deixou de ser a pena de morte, mas sim o método para matar” os prisioneiros.

“A discussão é se vamos fuzilar, degolar, enforcar ou algo mais “light” como a injeção letal, porque esses desgraçados não merecem consideração”, afirmou o governador ao defender um projeto de lei enviado ao Congresso de Coahuila.

Moreira, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), opositor do governo federal, foi questionado pela imprensa sobre a pena de morte contra seqüestradores que matem suas vítimas.

“Os seqüestradores já aplicam a pena de morte, mas sem julgar suas vítimas. Esses desgraçados torturam e matam pessoas”, expressou o político ao sustentar que sua iniciativa é um clamor por cidadania.

A discussão gera polêmica no Estado e foi impulsionada pela onda de seqüestros seguidos de morte na Província. Os opositores do governo estadual argumentam que a lei de Coahuila fere a Constituição do país.

Fonte: Folha Online