Sam Brownback, governador de Kansas, nos EUA, foi eleito como novo embaixador da liberdade religiosa internacional
Sam Brownback, governador de Kansas, nos EUA, foi eleito como novo embaixador da liberdade religiosa internacional

O governador de Kansas e ex-senador dos Estados Unidos, Sam Brownback, foi confirmado como o novo embaixador pela liberdade religiosa internacional.

Em uma votação em que o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, teve que desempatar, o governador Brownback foi confirmado nesta quarta-feira à noite, pelo placar de 50 a 49.

“Obrigado @POTUS, @VP e todos os senadores que apoiaram minha nomeação. Estou ansioso para começar meu novo cargo como embaixador e trabalhar duro para o povo americano e a liberdade religiosa em todo o mundo”, afirmou Brownback no Twitter .

Em julho passado, o presidente Donald Trump anunciou que ele nomearia Brownback para o cargo de embaixador internacional da liberdade religiosa.

No Senado dos Estados Unidos, Brownback era um dos principais patrocinadores da Lei Internacional de Liberdade Religiosa de 1998 – legislação que criou o Escritório de Liberdade Religiosa Internacional, o cargo de embaixador e a Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional.

David Saperstein, que ocupou o cargo de embaixador durante o governo Obama, disse à revista World Magazine, no ano passado, que ele aprovava a escolha de Brownback.

“Este é um compromisso muito forte, e espero trabalhar com ele para promover a causa da liberdade religiosa em todo o mundo”, disse Saperstein.

Brownback enfrentou resistência dos membros democratas do Senado, que impugnaram os pontos de vista do político socialmente conservador sobre questões LGBT.

“Eu só acho que é realmente importante se você for o embaixador que tenta promover a tolerância demonstrando com sua atitude”, afirmou a senadora Claire McCaskill, do Missouri.

“E sua dificuldade com a questão de usar a religião como desculpa para perseguir pessoas que são homossexuais, isso foi um desqualificador”.

Muitas organizações com foco na luta pela liberdade religiosa expressaram aprovação do nome de Brownback, como o presidente da  Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional, Daniel Mark, que afirmou que a escolha “não poderia ter vindo em hora melhor”.

“Estamos testemunhando imensos desafios para a liberdade religiosa em todo o mundo. Precisamos utilizar todos os recursos disponíveis para enfrentar esses desafios”, afirmou Mark.

Thomas Farr, presidente do Instituto de Liberdade Religiosa, elogiou a confirmação de Brownback, dizendo em um comunicado, que Brownback “fará da política de liberdade religiosa dos EUA parte integrante da estratégia de segurança nacional dos EUA”.

“A profunda experiência do embaixador Brownback e seu compromisso com a liberdade religiosa para todas as pessoas ajudará a garantir a liderança americana no trabalho vital de reduzir a perseguição religiosa global”, afirmou Farr.

O presidente do Conselho de Pesquisa da Família, Tony Perkins, declarou que Brownback “aumentará significativamente os esforços da nossa nação para ajudar os que são perseguidos e alvo de genocídio por causa de sua fé religiosa”.

“Como embaixador, ele terá mais autoridade e recursos para priorizar programas de liberdade religiosa e elevar a questão em nossa política externa”, disse Perkins.

“Nós aplaudimos a nomeação do presidente Trump e a confirmação do Senado de Sam Brownback para promover a liberdade religiosa em todo o mundo, uma conquista significativa que ajuda a cumprir a promessa do presidente de abordar esta questão”.

Fonte: The Christian Post