O governo britânico anunciou nesta terça-feira que vai apresentar, no ano que vem, um projeto de lei que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas proíbe a Igreja da Inglaterra de realizar esse tipo de cerimônia.

A secretária de Cultura, Maria Miller, encarregada de questões sobre igualdade, disse que a lei vai autorizar a realização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo no civil, assim como no religioso, se as religiões “optarem por isso”.

“Eu acho que, se um casal deseja mostrar seu amor e comprometimento mútuo, o Estado não deve ficar no seu caminho”, afirmou ela. “Para mim, a extensão do casamento para casais do mesmo sexo vai fortalecer, e não enfraquecer, esta vital instituição.”

Alguns grupos religiosos, como os Quakers e judeus liberais, dizem que desejam realizar cerimônias entre pessoas do mesmo sexo. Mas outros, dentre eles as igrejas Anglicana e Católica Romana, se opõem ao casamento gay.

Miller disse que a lei vai tornar ilegal que a Igreja da Inglaterra – a igreja oficial do país e simbolicamente liderada pela rainha Elizabeth II – e a Igreja Anglicana do País de Gales realizem casamentos gays.

O governo não tem a mesma autoridade legal sobre as demais igrejas, mas espera que proibição para a Igreja de Inglaterra reassegure aos religiosos que se opõem a esse tipo de cerimônia que eles não serão forçados a participar desse tipo de culto.

A lei também vai assegurar que organizações religiosas ou sacerdotes que se recusarem a casar pessoas do mesmo sexto não poderão ser processados por discriminação.

Desde de 2005, casais gays na Grã-Bretanha podem formalizar parcerias civis, que dá a eles o mesmo tipo de proteção legal, para adoção e de herança que casais heterossexuais, mas o ato não é chamado de casamento. As informações são da Associated Press.

[b]Fonte: Exame on-line[/b]