Sacerdote polonês foi encontrado degolado na sexta-feira na garagem de uma escola religiosa particular.

O governo de transição tunisiano condenou neste sábado o assassinato de um sacerdote polonês, encontrado degolado perto de Túnis, e lançou um apelo a “todos os homens de fé e membros da sociedade civil” que ajam “com determinação para evitar” que tais atos se repitam.

“O ministério de Assuntos Religiosos condena este ato criminoso e pede aos homens de fé e membros da sociedade civil que condenem estes atos e ajam com determinação para evitar que voltem a acontecer”, escreveu o ministério em um comunicado, publicado pela agência TAP.

O ministério destaca que “a Tunísia sempre foi um lugar de coexistência entre raças e nacionalidades e de diálogo entre civilizações, religiões e culturas”.

Marek Rybinski, de 34 anos, foi encontrado decapitado na sexta-feira na garagem de uma escola religiosa particular na região de Manuba, perto de Túnis. Ele trabalhava como tesoureiro da instituição, segundo uma fonte próxima ao ministério do Interior tunisiano.
[b]
Fonte: AFP[/b]