Depois de dois anos de debate parlamentar, o governo do Estado indiano de Rajasthan aprovou uma nova lei anticonversão.

A nova lei proíbe as conversões que acontecem por meio de coerção e fraude, além de condenar a cinco anos de prisão quem as pratica. O cardeal Varkey Vithayathil, arcebispo de Ernakulam-Angamaly, disse hoje “que tal decreto é um insulto à cultura indiana e que a Índia é conhecida no mundo como um país de tolerância e de paz”.

O purpurado ressalta que essa nova lei é inútil e foi redigida pelos fundamentalistas, que criam um clima de desconfiança e intolerância no país.

“Os decretos que, segundo eles, defendem a liberdade religiosa são contrários à nossa Constituição, que dá a todo cidadão o direito de praticar, professar e propagar a sua religião”, afirma o cardeal.

Os hinduístas acusam os missionários cristãos de violarem a lei com a celebração do batismo e atacam os cristãos durante seus cultos.

Dom Vithayathil finaliza dizendo que a Igreja na Índia não converte ninguém à força, mas faz com que todos conheçam a mensagem do Evangelho.

Fonte: Rádio Vaticano