Artistas gospel também estarão presentes na Manifestação Pacífica de Liberdade de Expressão em Brasília.

O evento será realizado no início de junho e é promovido por lideranças como o pastor Silas Malafaia e o bispo Roberto Torrecilhas. Líderes evangélicos de todo Brasil já manifestaram apoio.

[img align=left width=300]http://images.christianpost.com/portugues/middle/55478/manifestacao-pacifica.jpg[/img]Diversos líderes evangélicos brasileiros estão promovendo uma grande manifestação na capital Brasília em defesa de princípios bíblicos como família tradicional, da vida e contra o aborto, da liberdade de expressão e religiosa. O evento está sendo organizado para o dia 05 de junho, a partir das 15h, em frente ao Congresso Nacional.

Nomes da música gospel brasileira estão sendo divulgados e deverão comparecer para o protesto pacífico. Cantores como André Valadão, Thalles Roberto, Bruna Karla, Aline Barros, David Quinlan, Nani Azevedo e Eyshila.

“O evento em Brasília no dia 5/6 já tem o apoio de vários lideres, César Augusto, Renê Terra Nova, Robson Rodovalho, Samuel Câmara e mais Fadi Faraj, Jabes Alencar, Manoel Ferreira, Abner Ferreira, Samuel Ferreira, Marco Antônio, Marcos Gregório e muitos,muitos outros”, informou através de seu perfil no Twitter.

Silas Malafaia pretende reunir pelo menos 30 mil cristãos. A expectativa é que 100 mil pessoas participem do protesto para se posicionar contra o casamento gay, o aborto e o Projeto de Lei 122.

“Muitos estão se mobilizando para a manifestação pacífica em frente ao Congresso Nacional no dia 5 de junho. Não só evangélicos. Participe também!”, escreveu Silas Malafaia em seu microblog.

“Já que estão forçando a barra sobre o casamento gay, vamos a Brasília para dizer que estamos do outro lado. Não é um ato exclusivo para apoiar Marco Feliciano, mas para marcarmos nossa posição. Vamos dar a nossa resposta. Todas as lideranças evangélicas estarão presentes, assim como a bancada evangélica. Vai ter gente de todos os lados do Brasil”, disse o pastor Silas essa semana à revista Veja.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]