O movimento católico contestatório “Somos a Igreja” negou que o amor e a razão governem as atuais estruturas da Igreja como disse o Papa Bento XVI durante uma viagem de seis dias pelo sul da Alemanha, que concluiu nesta quinta-feira.

“A imagem descrita pelo Papa de um Deus cheio de amor não está impregnada nas atuais estruturas da Igreja”, afirmou o grupo reagindo assim às declarações de Bento XVI.

“A busca da fé é grande entre os homens, mas a hierarquia centralizada e a moral sexual rígida impedem muitas pessoas a viver a fé e o espírito de comunidade na Igreja Católica”, lamenta o comunicado.

“É ainda mais lamentável que não tenha dado qualquer sinal em relação às reformas previsíveis na Igreja Católica” (como a ordenação de mulheres), acrescenta o grupo, que também critica a falta de um gesto de boa vontade da Igreja em travar um diálogo com os leigos.

Fonte: AFP