As autoridades migratórias da Costa Rica não permitirão que o grupo de rock americano Deicide, considerado “satânico”, se apresente na Costa Rica. O país avaliou que sua música é “violenta”, informou hoje uma fonte oficial.

“Tomamos a decisão por considerarmos que a atividade do grupo é uma promoção aberta da violência e uma apologia do crime”, afirmou em comunicado Mario Zamora, diretor de migração.

Os organizadores do show do Deicide ainda não solicitaram a “permissão de espetáculo público”. Mas o departamento de Migração já anunciou que rejeitará o pedido, já que não considera uma “atividade artística”.

Os integrantes do grupo, que haviam planejado um show na província de Cartago dia 10 de março, poderão entrar no país como turistas, mas não será permitido realizar nenhuma atividade remunerada.

A polêmica em torno do show começou na semana passada, quando a Igreja Católica mostrou sua preocupação à imprensa local, afirmando que a música do Deicide supostamente “adora ao demônio”.

O fato foi agravado porque a Basílica de Los Angeles, maior templo católico da Costa Rica, fica a poucos quilômetros do local escolhido para o show.

Os organizadores do evento disseram que o grupo não é satânico e que a atitude faz parte do “marketing”. Num de seus vídeos, os músicos “satanizam” a figura de um padre.

Fonte: Folha Online