A Community College em Oregon, nos EUA, fez o pedido de cancelamento de um curso sobre o Islã.

Um grupo jurídico conservador, ameaçou processar a Community College em Oregon pelo seu pedido de cancelamento de um curso sobre o Islão e demissão do professor enquanto os funcionários das escolas permanecem implacáveis em suas decisões.

O Centro Americano de Direito e da Justiça (ACLJ)enviou uma carta para a Lane Community College em Eugene, Oregon, exigindo que recontratem Barry Sommer e restabeleçam o seu curso “O que é o Islã?” ou enfrentem uma ação jurídica.

O curso non-credit foi cancelado por funcionários da LCC e as inscrições tinham sido abertas em 01 de dezembro. Usando o Alcorão como um dos seus livros, o curso foi concebido para ajudar os alunos a compreenderem melhor a doutrina islâmica, para que pudessem ser mais bem informados a entender as questões em notícias sobre o Islã, os muçulmanos e Oriente Médio.

Mas, logo depois Sommer que apareceu em um noticiário local para promover o curso, o CAIR (Conselho sobre as Relações Americano-Islâmicas) enviou um e-mail a LCC e pedindo para o curso a ser cortado. O grupo questionou as qualificações de Sommer para ministrar o curso, dizendo que ele é presidente do capítulo local do Ato! para a América, o que tem sido acusado de ser anti-islâmico.

O ACLJ argumenta que o CAIR é livre para expressar seus pontos de vista, mas que o colégio não deve curvar-se ao grupo de “táticas de intimidação.”

“A LCC não é livre para violar um contrato e censurar os pontos de vista em nome da “sensibilidade ou de ser politicamente correto,” sustenta a carta de exigência.

O grupo com base em Washington, DC também apontou que o CAIR foi descrito pelo FBI como um “grupo de fachada” para os terroristas ligados ao Hamas.

Os funcionários da LCC, entretanto, afirmam que sua decisão de cancelar o curso “não foi em resposta a qualquer grupo de fora,” mas a “considerar cuidadosamente” a melhor forma de lidar com o tema religioso.

“A decisão foi tomada com a devida diligência e levou em conta várias perspectivas e problemas, incluindo a liberdade acadêmica, o impacto sobre a comunidade, a investigação intelectual e o equilíbrio,” disse a LCC, em uma declaração na quinta-feira.

A faculdade comunitária não tem qualquer intenção de restabelecer o curso, o Register-Guard informou neste sábado, apesar de ter recebido mais de 1.300 telefonemas e centenas de e-mails sobre o assunto na semana passada.

A LCC também argumenta que ninguém havia se inscrito para o curso de 8 horas de duração. Sommer e seus advogados, no entanto, dizem que as pessoas estavam em processo de inscrição, mas a LCC, mas retirou o curso apenas 48 horas depois de ser inserido ao sistema.

Segundo a carta de intimação, o ACLJ está dando a LCC até quarta-feira para responder.

A Inscrição para o Curso Inverno na LCC termina em 29 de dezembro.

[b]Fonte: Christian Post[/b]