Al-Shabaad, um grupo conhecido por relações próximas com o Al-Qaeda, ordenou a Visão Mundial, uma organização cristã de desenvolvimento e socorro emergencial, para que “imediatamente” cesse suas operações e deixe a Somália.

“Atuando como missionários sob o disfarce de trabalhos humanitários, as organizações têm sido corrompidas ao espalhar suas ideologias, a fim de macular a crença pura dos muçulmanos na Somália”, Al-Shabaad disse em um comunicados.

A Visão Mundial Somália e ADRA negam as alegações. Ambas as organizações suspenderam temporariamente suas operações.

“A Visão Mundial está surpresa e desapontada com a falsa acusação de estarem espalhando o cristianismo,” diz a porta-voz da Visão Mundial Somália, Amanda Koech.

Koech declara que embora a Visão Mundial seja uma organização cristã motivada por valores cristãos, os funcionários são proibidos de proselitismo.

A ADRA também insiste que estão totalmente focados na implementação de trabalhos emergenciais e desenvolvimento.

A proibição do Al-Shabaad vem apenas dias depois que insurgentes do Talibã assumiram a responsabilidade pelas mortes de trabalhadores humanitários cristãos no Afeganistão.

O grupo declarou Guerra à Organização das Nações Unidas e às muitas organizações não governamentais de socorro na Somália.

A Somália enfrenta sua pior crise humanitária em anos devido a conflitos em algumas áreas e secas. No ano passado funcionários disseram que estimaram um número de 3,8 milhões de pessoas – cerca de metade da população –estão em necessidade urgente de ajuda.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]