O comandante geral da Guarda Revolucionária iraniana (“Pasdaran”), Mohammed Ali Jaafari, reiterou o apoio do Irã ao grupo libanês xiita Hisbolá e previu que “em um futuro próximo a entidade sionista (Israel) será destruída”.

Segundo a agência “Irna”, Jaafari fez a afirmação em mensagem enviada ao líder do grupo libanês Hisbolá, Hassan Nasrallah, no qual expressou suas condolências pela morte do líder militar da milícia xiita Imad Mugniyah em um atentado no dia 12 em Damasco.

Hisbolá e Irã não reconhecem o Estado de Israel, ao qual responsabilizam do assassinato de Mugniyah, considerado pelo grupo e por Teerã um “herói da resistência”, e por Israel e pelos Estados Unidos um terrorista.

“Em um futuro próximo veremos a destruição da entidade cancerosa de Israel por mãos dos lutadores do ‘umat’ (povo muçulmano) do Hisbolá”, disse Jaafari.

“Sem dúvida, o martírio deste mujahid (combatente islâmico) fortalecerá até mais a vontade de todos os muçulmanos revolucionários para a luta contra o regime sionista de ocupação”, acrescentou.

A Guarda Revolucionária é um corpo militar paralelo ao Exército iraniano e é considerado a espinha dorsal do regime xiita de Teerã.

A corporação dispõe de tropas áreas, terrestres e marítimas, é considerada uma organização terrorista pelos EUA, e é acusada por Washington de fornecer armas a grupos como Hisbolá e milícias xiitas radicais iraquianas.

Fonte: EFE