Martin Luther King Jr.
Martin Luther King Jr.

Em 4 de abril de 2018, a morte de Martin Luther King Jr. completa 50 anos. King, que nasceu em Atlanta, na Geórgia, Estados Unidos, se tornou pastor; e, ao longo da vida, uma das maiores personalidades na luta pelos direitos civis do país.

Direito de voto e o acesso a emprego e a serviços públicos foram algumas das suas reivindicações.

Cinquenta anos após o assassinato do reverendo Martin Luther King Jr, familiares e admiradores do líder dos direitos civis marcaram o aniversário de sua morte com marchas, discursos e premiações nesta quarta-feira (4).

As comemorações se estenderam de sua cidade natal, Atlanta, a Memphis, onde ele foi morto, e outras localidades.

Centenas de pessoas se reuniram cedo em Memphis para uma marcha liderada pelo mesmo sindicato de garis, a maioria negros, cujos baixos salários eram alvo de protesto de King quando ele foi morto.

Outros se reuniram em Atlanta, onde a filha de King, Bernice A. King, lideraria cerimônia de premiação em seu nome.

Na noite de terça (3), a Casa Branca divulgou nota do presidente Trump sobre as comemorações.

“Como povo unido, precisamos ver a missão de vida de King e denunciar o racismo, a desumanidade e tudo o que nos divide. Não é o governo que irá alcançar os ideais de King, mas as pessoas deste grande país que cuidarão para nossa nação represente tudo o que é bom e verdadeiro, que incorpore unidade, paz e justiça. Precisamos ativamente aspirar a garantir o sonho de vivermos juntos como um povo com um objetivo comum”, afirmou trecho da nota.

Ainda na noite de terça, houve uma celebração do discurso de King “I’ve been to the mountaintop” (estive no topo da montanha) na igreja Mason Temple Church of God in Christ, em Memphis. King pronunciou este discurso na véspera de seu assassinato.

Resultado de imagem para Martin Luther King Jr

Na igreja, Bernice King chamou seu irmão mais velho, Martin Luther King 3º, para juntar-se a ela no púlpito, e ela falou sobre a dificuldade de fazer em público o luto pelo seu pai —um homem odiado durante sua vida, mas hoje admirado ao redor do mundo.

“É importante ver duas crianças que perderam seu pai há 50 anos pela bala de um assassino”, afirmou Bernice King, hoje aos 55 anos. “Mas fomos adiante. Mantenham todos nós em oração enquanto continuamos com o processo de luto por um pai que tivemos de enterrar.”

O pastor Martin Luther King Jr. morreu após ser vítima de um franco-atirador enquanto estava na sacada de um hotel.

Fonte: Folha de São Paulo e Pleno News