O hambúrguer com uma hóstia foi apelidado de “Ghost”, em homenagem à banda homônima sueca de heavy metal cujos membros usam vestes religiosas e maquiagem de esqueletos.

Uma famosa lanchonete de Chicago (Estados Unidos) gerou uma grande polêmica com a comunidade católica da cidade ao oferecer a “Hambúrguer do Espírito Santo”, que inclui entre seus ingredientes uma hóstia não consagrada.

Em sua página do Facebook, a lanchonete explica que o “Ghost Burger” (alusão ao Espírito Santo) inclui pimenta, queijo cheddar branco, “vinho tinto reduzido (o sangue de Cristo) e hóstia (o corpo de Cristo)”.

A hóstia que acompanha o hambúrguer bovino não é benzida, mas tem o símbolo da cruz.

O lançamento gerou polêmica nas redes sociais e a cidade, onde muitos fiéis o consideram um “sacrilégio” e um “insulto”.

[img align=left width=300]http://imguol.com/c/noticias/2013/10/08/8out2013—em-foto-sem-data-divulgada-pelo-restaurante-kuma-corner-de-chicago-o-hamburguer-com-uma-hostia-apelidado-de-ghost-em-homenagem-a-banda-homonima-sueca-de-heavy-metal-cujos-membros-usam-1381258717277_615x470.jpg[/img]Em mensagem na página de Facebook do restaurante, o internauta Keir Norwell, da cidade de Buffalo Grove (Illinois), disse que incluir esse hambúrguer no menu é de “muito mau gosto”.

Após a polêmica, o estabelecimento indicou que “trabalham duro para oferecer combinações criativas” e agradeceram o apoio das pessoas que entenderam que, “de nenhuma maneira”, criaram este hambúrguer como um “ataque às crenças religiosas”.

O gerente geral da lanchonete Kuma’s Corner, Luke Tobias, explicou que o nome do hambúrguer é uma homenagem à banda sueca de heavy metal Ghost B.C.

Os donos da Kuma’s fizeram ainda referência à liberdade religiosa e de expressão garantidas na Constituição americana para justificar sua decisão de criar este hambúrguer, que será vendido por todo o mês de outubro.

Para refrear a péssima repercussão, o restaurante enviou ainda uma doação de US$ 1.500 à arquidiocese Católica de Chicago, que rejeitou o dinheiro.

[b]Fonte: EFE[/b]