Um alemão tentou pular dentro do papamóvel quando o papa Bento XVI chegava para sua audiência geral desta quarta-feira, 6, na Praça de São Pedro, mas foi contido e dominado por seguranças.

O líder católico, que ficou longe do alcance do homem, aparentemente nem percebeu que alguém tinha ultrapassado as barreiras de proteção e agarrado a traseira do papamóvel, que estava com a capota abaixada.

Ao menos oito seguranças que seguiam veículo durante o percurso detiveram o invasor e o imobilizaram no chão.

Uma autoridade anônima do Vaticano afirmou que o homem, que aparentemente teria entre 20 e 30 anos, foi capturado e interrogado pela polícia do Vaticano.

O porta-voz do Vaticano, reverendo Federico Lombardi, disse apenas que o homem era um alemão de 27 anos que demonstrava sinais de “desequilíbrio mental”.

“Sua intenção não era atentar contra a vida do papa, mas chamar a atenção”, afirmou Lombardi.

O homem, vestindo uma camiseta rosa, bermuda escura e um boné de beisebol bege e óculos escuros, pulou sobre algums pessoas e a barreira e agarrou-se à traseira do veículo do papa antes de ser puxado pelos seguranças.

Bento XVI deu continuidade à audiência como se nada tivesse acontecido. O jipe seguiu seu caminho, e o papa continuou acenando e deu prosseguimento às burocracias costumeiras.

O papamóvel usado pelo papa no exterior é protegido por vidros à prova de bala, mas o usado na Praça de São Pedro é descoberto.

Em 13 de maio de 1981, o turco Mehmet Ali Agca baleou no abdome o então papa João Paulo II quando ele passava pela mesma praça durante uma audiência pública. O papa ficou seriamente ferido. Agca foi preso e cumpriu sentença na Itália antes de ser transferido para seu país de origem.

Fonte: Estadão