Na véspera, ataque a igreja cristã matou 19 na mesma cidade de Okene. Governador ordenou toque de recolher na cidade e regiões adjacentes.

Homens armados mataram três pessoas em um ataque a uma mesquita na cidade nigeriana de Okene na terça-feira, um dia depois de 19 pessoas serem mortas durante um tiroteio numa igreja na mesma cidade, em novo surto de violência sectária no centro da Nigéria, disse a polícia nesta quarta-feira (8).

“Houve um novo ataque, ontem, em uma mesquita em Okene. Dois soldados morreram e uma outra pessoa foi morta no fogo cruzado”, disse o comissário da polícia do Estado de Kogi, Muhammed Katsina, à Reuters.

Na segunda-feira, homens armados bloquearam as saídas da Igreja Deeper Life e atiraram contra os fiéis presos, matando 19 pessoas. O número inicial de vítimas era de 16, mas outros três morreram no hospital, afirmaram as autoridades.

O governador de Kogi, Idris Wada, ordenou um toque de recolher durante toda a noite em Okene e nas regiões adjacentes, em um esforço para conter a violência.

Não ficou claro quem estava por trás dos ataques, mas a seita islâmica Boko Haram atacou várias igrejas e mesquitas neste ano. Especialistas em segurança acreditam que a seita quer provocar um conflito religioso no país, que é o maior produtor de petróleo da África.

Kogi é mais ao sul do que os usuais alvos do Boko Haram, que são focados em sua base de origem no nordeste do país e outras cidades do norte.

A seita matou centenas de pessoas este ano em sua insurgência contra o governo do presidente Goodluck Jonathan. Ela quer ter um Estado islâmico dentro da Nigéria, um país de mais de 160 milhões de pessoas, dividido entre cristãos e muçulmanos.

[b]Fonte: G1[/b]