Militantes islâmicos seqüestraram dois trabalhadores cristãos do serviço de saúde pública no dia 26 de outubro, em um hospital em Waziristan Norte, no Paquistão.

De acordo com o serviço de notícias do ministério Voz de Salem, Naeem Masih e Shahbaz Masih foram seqüestrados por homens mascarados no portão principal do hospital Miranshah.

Há cinco meses, outros dois cristãos foram seqüestrados, mas libertados depois. Suspeita-se que um talibã local esteja envolvido nos incidentes, apesar de nenhum grupo ter reivindicado a responsabilidade pelos seqüestros.

No início do mês de outubro foram atacados residentes cristãos da aldeia de Hadyara, nos arredores de Lahore, por homens que também atacaram violentamente a Nova Igreja Apostólica, estabelecida antes da divisão territorial do Paquistão com a Índia.

Eles reclamaram às autoridades que a igreja deles poderia ser arrasada por muçulmanos irados com as orações e pregações cristãs.

Convocação contra os cristãos

Membros da comunidade minoritária contaram que anúncios foram feitos por alto-falantes da mesquita incitando os muçulmanos das aldeias próximas a estarem prontos para um “ataque final.”

Outros anúncios pediam que comerciantes e fazendeiros não permitissem cristãos em suas propriedades.

Mil cristãos vivem na localidade de Miranshah. Militantes islâmicos do Paquistão ameaçaram matar os clérigos cristãos em Pendjab, caso eles não abraçassem o islã e não deixem de pregar o cristianismo. Ore por esses irmãos.

Fonte: Portas Abertas