Um ataque a um hospital cristão que realizava um programa especial de atendimentos aos dalits, em Uttar Pradesh, revela o descontentamento de extremistas hindus com o trabalho cristão humanitário e de conversão de pessoas “intocáveis”.

Cerca de 100 pessoas, lideradas por extremistas hindus, no último dia 17 de agosto, invadiu o hospital cristão Kachhwa Bazaar, no distrito de Mirzapur, lançando pedras e paus contra os que lideravam o programa para os estudantes dalits e seus pais.

O doutor Raju Abraham, cirurgião chefe do hospital, e o pastor T.V. Joy estão entre os quatro cristãos feridos no ataque.

O ataque foi liderado por Anshu Singh. A multidão de agressores dizia pertencer aos grupos extremistas Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS) e ao Bajrang Dal, braço mais jovem do Vishwa Hindu Parishad (VHP).

Havia aproximadamente 400 dalits, incluindo mulheres e crianças, no momento do ataque. Eles assistiam à comemoração do 60º aniversário da Independência de Índia (no dia 15 de agosto).

Os agressores também praticaram atos de vandalismo no hospital, espancaram os cristãos presentes, principalmente os dalits, e rasgaram a bandeira da Índia.

No dia 16 de agosto, aproximadamente 20 extremistas invadiram o hospital e alertaram o doutor Abraham de que ele seria morto se continuasse com o programa de atendimento aos dalits, considerados de uma casta inferior.

O doutor Abraham registrou uma queixa no posto policial de Kachhwa Bazar, dois dias depois, identificando o nome de seis pessoas que estavam conduzindo a multidão.

A polícia prendeu quatro dos acusados que estavam sendo investigados.

Uttar Pradesh tem mais de 35 milhões de dalits, de uma população total de 166 milhões. Os cristãos são apenas 212 mil.

Fonte: Portas Abertas