[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/https://media.guiame.com.br/archives/2017/08/15/143644922-hotel-judeus.jpg[/img]

Um hotel na Suíça orientou seus hóspedes judeus a tomarem banho antes de entrar na piscina e acessar a geladeira em horários fixos no dia.

O Hotel Paradies Arosa, localizado na Comuna de Arosa, a 130 quilômetros de Zurique, instalou uma placa na área da piscina alertando seus clientes judeus:

“Aos nossos hóspedes judeus (homens, mulheres e crianças): Por favor tome banho antes e depois de nadar. Se você violar as regras, serei forçado a fechar a piscina para você”, disse o aviso.

A placa instalada sobre a geladeira dizia: “Aos nossos hóspedes judeus: você tem a permissão de se aproximar da geladeira entre 10h e 11h da manhã e 16h30 e 17h30 da tarde. Espero que você entenda que nossa equipe não gosta de ser incomodada sempre”.

Os avisos foram assinados pela gerente do hotel, Ruth Thomann, que mais tarde pediu desculpas e retirou as placas após a queixa de clientes israelenses.

“Não tenho nada contra judeus, a quem sempre recebemos aqui calorosamente”, disse Thomann à Jewish Telegraphic Agency. “Talvez eu tenha selecionado as palavras erradas. Os avisos deveriam ter sido dirigidos a todos os hóspedes, em vez dos judeus”.

Tzipi Hotovely, vice-ministra dos Negócios Estrangeiros de Israel, condenou as ações do hotel como “um ato antissemita do pior tipo”.

Hotovely sugeriu que a gerente do hotel seja processada por crime de ódio e que as placas eram indicativos do antissemitismo em toda a Europa.

“Infelizmente, o antissemitismo na Europa ainda é uma realidade. Devemos garantir que as punições para incidentes como esses sirvam de dissuasão para aqueles que ainda possuem o germe do antissemitismo”, disse Hotovely em um comunicado.

Ruth Thomann explicou que sua equipe permitia que apenas os hóspedes judeus colocassem comida dentro da geladeira.

“O aviso foi dirigido apenas aos hóspedes judeus porque os outros hóspedes não têm permissão para colocar comida na geladeira, e queríamos que nossos hóspedes judeus tivessem acesso à comida apenas em horários fixos porque, de outra forma, seria uma situação impossível”, disse ela.

Ruth também afirmou que apenas os hóspedes judeus do hotel tinham o costume de entrar na piscina sem tomar banho antes.

“Enquanto o hotel queria fazer seus hóspedes judeus se sentirem em casa, o comportamento de alguns desses hóspedes fez com que os outros hóspedes se sentissem desconfortáveis”, justificou.

[b]Fonte: Guia-me[/b]