Líder da Assembleia de Deus em Santo Amaro reúne-se com pastores, critica fechamento de templos e pede ‘mudança’.

Candidato à Prefeitura de São Paulo favorito dos evangélicos, segundo as mais recentes pesquisas de intenção de voto, Celso Russomanno (PRB) recebeu ontem o apoio de uma ala da Assembleia de Deus que acusou o prefeito Gilberto Kassab (PSD) de perseguição por fechar templos evangélicos sem alvará.

Russomanno subiu ao púlpito do Ministério de Santo Amaro da igreja, recebeu uma bênção diante de um público de 500 pastores e prometeu que, se eleito, não fechará nenhum templo.

Líder político dessa ala da Assembleia de Deus, o evangélico Renato Galdino pediu a seus pastores “renovação” na cidade.

“Quando nós chegamos a um departamento da Prefeitura, muitas vezes somos desprezados. Subentende-se que é preciso uma mudança na qual possamos ter o nosso templo”, disse.

O presidente estadual do PRB, Vinícius Carvalho, que é pastor da Igreja Universal, fez coro. “É o momento de tirarmos esse espinheiro que tem dominado o povo e de colocarmos para governar a cidade uma pessoa temente a Deus”, afirmou.

Russomanno disse aos líderes religiosos que “não quer e não vai” fechar nenhuma igreja. “A política deve ser de orientação aos pastores para que regularizem sua situação – não perseguindo, não fechando as igrejas, porque isso é um absurdo”, disse ao Estado, após o culto.

[b]Vacina[/b]

O discurso de Russomanno é uma vacina contra líderes evangélicos que suspeitam que sua eleição vá prejudicá-los e beneficiar apenas a Igreja Universal, que tem integrantes na direção do PRB. A Igreja Mundial e as alas da Assembleia de Deus que apoiam Serra disputam fiéis com a Universal em São Paulo.

Russomanno lidera as pesquisas de intenção de voto entre a população evangélica, superando José Serra (PSDB) no primeiro turno por 31% a 27%, segundo o último levantamento Ibope/TV Globo/Estado. Considerando todo o eleitorado, os dois estariam empatados, com 26% cada.

Na sondagem espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao entrevistado, Russomanno tem 16%, ante 15% de Serra na população total, mas vence por 20% a 12% entre os evangélicos.

No segundo turno, o candidato do PRB aparece na frente do tucano por 42% a 35% na pesquisa geral, mas teria maior vantagem entre a população evangélica: 50% a 33%.

[b]Fonte: Estadão[/b]