Em nota a denominação diz que o pastor não se comportava de acordo com a função e ofendia os membros do conselho.

A Igreja Batista da Graça de Vitória, Espírito Santo, enviou uma nota desmentindo as acusações do pastor Sérgio Emílio Santos que teria dito aos meios de comunicação e também na delegacia que sua demissão aconteceu porque ele apoiava um jovem homossexual que frequentava a igreja.

Pela notificação enviada, os motivos que fizeram com o que o pastor fosse exonerado não tinham ligação com o garoto menor de idade e nem com a sua família conforme foi informado, mas por razões internas que fizeram com que Meira Santos fosse retirado do cargo que ocupou durante um ano e cinco meses.

“A decisão da Igreja foi baseada na postura inadequada de Sérgio Emílio Meira Santos, ao se comportar de forma incompatível para o cargo, com absenteísmo frequente e ofensas a membros do Conselho de Administração e da Igreja,” diz trecho da carta.

Na delegacia Meira Santos denunciou o caso como homofobia dizendo que o Conselho teria condenado o fato dele ter colocado o jovem homossexual de 16 anos como tecladista do grupo de louvor. “Desesperado ato de vingança criou a mentira talvez mais grave da sua vida, ao acusar a Igreja Batista da Graça de discriminar, devido à sua preferência sexual, um menor que frequenta a igreja juntamente com seus pais, embora nenhum deles seja membro da mesma”, desmente a nota.

Leia na íntegra a explicação da Igreja Batista da Graça:

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

A Igreja Batista da Graça lamenta informar:

1. O Sr. Sergio Emílio Meira Santos, foi Pastor Interino da Igreja Batista da Graça, pelo período de julho de 2010 a dezembro de 2011, nomeado pelo Conselho de Administração, o qual em dezembro de 2011 deliberou por não renovar a interinidade a partir de 1º de janeiro de 2012.

2. A decisão da Igreja foi baseada na postura inadequada de Sérgio Emílio Meira Santos, ao se comportar de forma incompatível para o cargo, com absenteísmo frequente e ofensas a membros do Conselho de Administração e da Igreja, chegando a afirmar publicamente: “vocês estão lidando com a pior pessoa do mundo”.

3. Após ser formalmente comunicado da sua exoneração por carta, devido se negar a receber o Conselho, alegando não ter tempo na primeira semana de janeiro, Sérgio Emílio Meira Santos, já como ex-Pastor, no dia 03 de janeiro de 2012, invadiu o templo da Igreja Batista da Graça às 04 horas da manhã, subtraindo alguns dos bens de maior valor da Igreja (guitarra, computador, impressora e veículo Kombi), os quais só foram devolvidos por determinação do Sr. Delegado de Polícia de Repressão a Furtos e Roubos, que ordenou a devolução no prazo de 24 horas, durante audiência para a qual Sérgio Emílio Meira Santos foi intimado por aquela Autoridade Policial.

4. Após esta sequência de fatos lamentáveis, Sérgio Emílio Meira Santos, em desesperado ato de vingança criou a mentira talvez mais grave da sua vida, ao acusar a Igreja Batista da Graça de discriminar, devido à sua preferência sexual, um menor que frequenta a igreja juntamente com seus pais, embora nenhum deles seja membro da mesma, mas continuam benvindos e dignos de respeito.

5. Esta acusação leviana e mentirosa tem o propósito ardiloso de desviar a atenção da população, da imprensa e das autoridades policiais da péssima conduta de Sérgio Emílio Meira Santos.

6. A Igreja Batista da Graça desafia publicamente a Sérgio Emílio Meira Santos a provar suas torpes acusações.

7. A Igreja Batista da Graça dispõe e disponibiliza farta documentação, tais como, atas registradas em cartório, relatório da empresa de segurança com detalhe de data e horário da invasão da Igreja, boletim de ocorrência policial e assinatura da maioria dos membros da Igreja Batista da Graça assumindo as decisões tomadas. Tais documentos são capazes de contestar as calúnias e comprovar a delinquência, as falácias e as mentiras de Sérgio Emílio Meira Santos.

Vitória da Conquista, Ba., 16 de janeiro de 2012

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]

Leia também: [url=http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=20746]Pastor denuncia homofobia contra adolescente[/url]