Um dia depois de ser invadida e incendiada, a Igreja Batista Central do Ipsep localizada na Rua Engenhiero Raposo Pinto, no bairro de mesmo nome, na Zona Sul do Recife,o cenário é de destruição. Nesta segunda-feira (9), o cheiro de fumaça ainda é forte.

[img align=left width=300]http://img1.ne10.uol.com.br/radiojornal/imagens/noticia/2017/01/09/36239d5d-1dd2-4825-a1f3-c3f27ea2449d.jpg[/img]De acordo com o pastor Sílvio Sacramento, tudo aconteceu por volta das 3h desse domingo (8). Os suspeitos entraram no local pela lateral do templo e forçaram a grade para entrar no espaço. Eles levaram um baixo, um datashow, um teclado e quatro microfones.

Na saída, os suspeitos tocaram fogo em uma das salas, que se espalhou por toda congregação. No salão principal, as chamas atingiram principalmente o altar, uma sala onde os instrumentos musicais eram guardados e o teto da congregação, que era de gesso. A instalação eletrica também ficou danificada.

A Igreja funciona há 37 anos e já foi assaltada três vezes nos últimos 10 anos. De acordo com o pastor Sílvio Sacramento, o prejuízo deve girar em torne de R$ 15 mil a R$ 20 mil. As chamas também destruíram todo o arquivo da igreja e alguns instrumentos musicais, que foram deixados para trás pelos ladrões.

Os bombeiros foram acionados para debelar as chamas. De acordo com o filho do pastor, um engenheiro civil pós-graduado em perícia, a estrutura não foi afetada, mas ainda não há previsão para que a Igreja seja reformada e volte a funcionar completamente. “Só Deus sabe. Só quando refizer a eletricidade”, lamentou o pastor.

No ano passado, a igreja que fica ao lado também foi alvo de suspeitos, que roubaram instrumentos musicais. O caso da Igreja Batista Central foi registrado na delegacia de Boa Viagem, mas deve ser investigado pela delegacia do Ipsep.

[b]Fonte: Rádio Jornal[/b]