Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, palco do massacre que deixou 26 mortos no Texas
Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, palco do massacre que deixou 26 mortos no Texas

O pastor Frank Pomeroy, da Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, onde ocorreu o massacre que deixou 26 mortos no Texas no último domingo, confirmou que o templo será demolido. Segundo ele, seria “doloroso demais” continuar a utilizar o local para o culto.

O pastor perdeu sua filha Anabelle, de 14 anos, no tiroteio em massa. Ele confirmou aos dirigentes da Convenção Batista do Sul que a igreja da pequena cidade texana será derrubada, segundo o jornal San Antonio Express-News.

O massacre foi cometido por Devin Kelley, que invadiu a igreja e atirou indiscriminadamente com um fuzil semiautomático contra os fiéis. Além de 26 mortos, o ataque deixou 20 feridos.

O porta-voz da Convenção Batista do Sul, a maior entidade batista do mundo, Sing Oldham, explicou que Pomeroy expressou o desejo de transformar o lugar onde agora se encontra a igreja em um monumento em homenagem às vítimas e de construir um novo templo em terrenos que pertencem à própria igreja.

“Deus sabe de tudo”

Esta semana, o pastor Frank Pomeroy e sua esposa, Sherri falaram pela primeira vez à mídia, após o tiroteio em massa ocorrido em sua igreja, no domingo passado.

O pastor fez um breve comentário e explicou que sua esposa escreveu um texto de gratidão a todos os que têm apoiado a sua família, bem como outras famílias que perderam parentes no ataque.

Ao final da leitura do texto, o pastor Frank ainda respondeu brevemente a algumas perguntas de repórteres presentes na coletiva de imprensa e falou sobre os sentimentos de sua família e possíveis respostas a esta tragédia.

“Exaltemos o nome Dele em Cristo, porque tudo está em Cristo”, disse Pomeroy, que é pastor há 15 anos. “Cristo é o único que será exaltado e é isso o que estou dizendo a todos”.

“Seja o que for que a vida lhe traz, se apoie no Senhor em vez de seu próprio entendimento. Eu mesmo não entendo, mas sei que Deus sabe de tudo e é aí que vou deixar isso”, disse ele aos repórteres.

Violência doméstica

Nessa semana, um documento divulgado pela imprensa americana revelou que Devin Kelley escapou de um hospital psiquiátrico em 2012. Ele foi enviado ao Peak Behavioral Health Services Center, na cidade de Santa Teresa, no Novo México, após agredir sua esposa e seu enteado – ele chegou a provocar traumatismo craniano na criança – enquanto ainda era membro da Força Aérea americana.

Ele foi capturado e mais tarde, no mesmo ano, foi considerado culpado por uma corte militar pelas agressões. Ele foi sentenciado a um ano de prisão em um instituto carcerário da Marinha americana e expulso das Forças Armadas.

Ainda assim, conseguiu comprar as armas utilizadas no ataque. O Pentágono admitiu que falhou ao não inserir os casos de violência doméstica de Devin Kelley na base de dados federal. As informações são utilizadas por vendedores legais de armas para verificar o histórico criminal dos compradores.

Fonte: Veja