A influente Igreja Católica da Bolívia aceitou nesta sexta-feira ser “facilitadora” de um diálogo entre o presidente Evo Morales e setores da oposição para dar fim a um conflito político que ameaça desestabilizar o país, informou a mídia local.

O anúncio da Igreja foi feito em meio à incerteza causada pelo conflito entre a nova Constituição “plurinacional”, que Morales quer levar a referendo, e estatutos de autonomias regionais.

“A Igreja Católica está aberta a estudar as possibilidades que possam ser oferecidas pelas partes em conflito para facilitar um encontro”, disse a jornalistas secretário-geral da Conferência Episcopal Boliviana (CEB), o bispo Jesús Juárez, segundo rádios e TVs locais.

Morales visitou o cardeal Julio Terrazas em Santa Cruz, bastião da oposição, no dia seguinte à reunião do religioso com o governador da região, Rubén Costas, e o presidente do Senado, Oscar Ortiz, dois dos principais líderes da oposição.

O bispo Juárez, sem dizer quando nem onde seria o encontro entre governo e oposição, esclareceu que a Igreja “não fala de mediação, e sim de facilitação e o que vai fazer é estudar e buscar a forma de também por seu grãozinho de areia na busca da paz e da justiça”.

A oposição tinha pedido uma mediação da cúpula católica, para um encontro que, segundo o opositor e magnata do cimento Samuel Doria Medina, já não seria estritamente de diálogo, mas também de negociação.

Fonte: Reuters