Sem citar o nome do candidato a prefeito, a Arquidiocese de Salvador emitiu uma nota criticando o comportamento de Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM) por distribuir cerca de 15 mil panfletos em que aparece recebendo a comunhão do papa João Paulo 2º (morto em 2005) e beijando a mão do cardeal primaz do Brasil, d. Geraldo Majella.

No panfleto “Neto tem fé em Deus”, o candidato aparece recebendo a comunhão do papa durante a segunda visita de João Paulo 2º à Bahia, em 1991 –na época, o Estado era governado pelo avô do candidato, o senador Antonio Carlos Magalhães (morto em 2007).

O outro lado do panfleto traz ACM Neto beijando a mão de Majella, além de um texto citando que o seu vice, o deputado federal Márcio Marinho (PR), é da Igreja Universal e também “um cristão”.

“A Arquidiocese de São Salvador da Bahia não autoriza o uso de imagens fotográfica ou em vídeo de qualquer autoridade eclesiástica em peças publicitárias de campanhas de candidatos a cargos eletivos nas eleições de 2008, conforme tradição amplamente conhecida por toda a sociedade baiana”, diz a nota, assinado pelo padre Manoel Folho, coordenador de comunicação da instituição.

O panfleto de ACM Neto diz ainda que ele é primo de um padre que o teria levado para comungar com o papa. Segundo o texto, se o democrata vencer as eleições vai permanecer à frente da prefeitura até 2012.

Por sua assessoria, o deputado disse que lamenta a nota emitida pela Arquidiocese de Salvador e acrescentou que as imagens foram fatos jornalísticos de caráter público, divulgados pela imprensa.

Fonte: Folha Online