A Arquidiocese de São Paulo, o governo do Estado e a prefeitura da capital paulista mostraram ontem os dois palcos onde Bento 16 rezará na cidade.

No dia 10 de maio, o papa terá um encontro com jovens no Estádio do Pacaembu, pela tarde, e falará aos presentes sob uma pomba estilizada com 90 metros de envergadura e 70 metros de comprimento. A pomba representa o Espírito Santo.

O desenho será confeccionado em acrílico translúcido e se fincará em uma estrutura de metal que ocupará todo o setor do tobogã do estádio. As cores serão o amarelo, remetendo ao Vaticano, o vermelho, ao Espírito Santo, e o branco, que lembrará o desejo de paz.

Para a missa que o papa celebrará no Campo de Marte, no dia 11, às 9h30, será montado um palco estilizado com 80 metros de largura e 25 metros de altura. No chão deste palco haverá uma bandeira do Brasil estilizada. Sob o altar do papa, um mapa do Estado de São Paulo.

A expectativa da igreja é reunir 1,5 milhão de pessoas na missa do Campo de Marte e 30 mil jovens no Pacaembu.

O projeto da pomba foi feito pelo escritório Banco de Eventos. O desenho do palco para o Campo de Marte foi concebido pelo escritório Molla Arquitetura e Cenografia.

Cada uma das empresas participou de uma concorrência com outras quatro candidatas. Uma das pré-condições era doar o projeto à igreja, ao Estado e ao município.

A execução do desenho, contudo, será custeada pelo governo estadual e pela prefeitura. Não há estimativa de custos nem cronograma de obras.

Nenhum dos projetos vislumbra a possibilidade de haver chuva no dia do evento.

O anúncio foi feito no Palácio dos Bandeirantes, sede da administração paulista, e contou com a presença, entre outros, de d. Manuel Parrado, substituto temporário de d. Cláudio Hummes à frente da arquidiocese, e de d. Pedro Stringhini e d. Joaquim Justino Carreira, bispos-auxilares de SP.

Pelo lado do governo do Estado, o projeto foi apresentado por Hubert Alquères, secretário de Comunicação, e Cláudia Matarazzo, chefe do cerimonial do governador José Serra. Caio Carvalho, presidente da SPTuris, representou o município.

Fonte: Folha de São Paulo