Pe. Thomas Kocherry, fundador do Fórum Nacional dos Pescadores, em Kerala, Índia, denunciou o governo desse estado, de reter as verbas destinadas às populações atingidas pelo tsunami que, em 26 de dezembro de 2004, fez 226 mil vítimas fatais, nas costas do Oceano Índico.

Segundo o sacerdote, o governo ainda não distribuiu as verbas para a reconstrução das casas dos deslocados. Pe. Thomas pede ao governo que seja transparente e diga o que foi feito com as verbas obtidas depois do tsunami. “Esse dinheiro é destinado às vítimas, sem distinção de raça ou religião, e não ao governo” _ ressalta o sacerdote.

O Ministro da Cooperação, Sudhakaran, confirmou o bloqueio das verbas, mas rejeitou as acusações de favorecimento em relação a grupos étnicos ou religiosos. “Na verdade, ainda não distribuímos nenhuma verba. Os pedidos são muitos e devem ser avaliados com atenção” _ ressaltou o ministro.

“Esta última afirmação _ sublinhou Pe. Thomas _ piora ainda mais as coisas. As populações atingidas pelo tsunami vivem em condições precárias e não podem mais esperar. Devemos fazer alguma coisa para ajudá-las” _ ressaltou o sacerdote.

Segundo Pe. Anthony Thota, coordenador da Campana Tsunami, promovida pelo Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), o atraso da distribuição das verbas pode ser explicado pela “corrupção dos políticos, mas também porque os mesmos querem acumular fundos que servirão de ajuda para suas futuras campanhas eleitorais” _ finalizou Pe. Thota.

Fonte: Rádio Vaticano