A Igreja Católica vai pedir ajuda financeira às empresas brasileiras para realizar a 5.ª Conferência Geral dos Bispos da América Latina e Caribe, marcada para acontecer entre os dias 13 e 31 de maio, em Aparecida, no interior de São Paulo. O evento, que será aberto oficialmente pelo papa Bento XVI, deverá custar R$ 2,5 milhões.

Em reunião no Santuário Nacional de Aparecida, representantes de 16 comissões de trabalho decidiram que o maior desafio, além da própria organização do encontro internacional, será a busca de recursos. “Esta é uma das principais dificuldades. Metade do custo será com estada e permanência de 300 religiosos vindos de 22 países em Aparecida”, informou o monsenhor Sidney Fones, secretário-executivo do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). “As próprias igrejas deverão também ser fonte de renda”, diz o monsenhor. “Mas vamos buscar patrocínio com as empresas brasileiras.”

Das despesas, cerca de US$ 400 mil serão destinados aos sistemas de comunicação para a realização da conferência, por exemplo. “Se for necessário, vou recorrer novamente à Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Eles têm nos ajudado, intermediando o contato com as empresas”, disse d. Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida. Foi por meio de Paulo Skaf, presidente da Fiesp, que a arquidiocese conseguiu, por exemplo, recursos para reformar o Seminário Bom Jesus, local que irá hospedar o papa.

Quinta-feira, a Arquidiocese de São Paulo inaugurou a Secretaria Executiva, comissão que vai coordenar os trabalhos da Igreja para a vinda do papa ao Brasil. Também quinta-feira foi lançado o site oficial da visita (www.visitadopapa.org.br).

Beatificações

O papa Bento XVI deve rezar no País a missa em que serão beatificados o espanhol Emanuele Gómez González e os brasileiros Adilio Daronch, Albertina Berkenbrock e Lindalva Justo de Oliveira, considerados mártires pela Igreja. A informação foi dada por José Luis Gómez Gutiérrez, da Congregação para a Causa dos Santos.

Na quinta-feira, a Arquidiocese de São Paulo inaugurou a Secretaria Executiva, comissão que vai coordenar os trabalhos da Igreja para a vinda do papa ao Brasil. Também foi lançado o site oficial da visita de Bento XVI ao País.

Fonte: Paraná Online