A queda da igreja de São Francisco de Assis, no bairro de Pisco Playa, durante uma missa pela alma de Mónica Laura, durante o terremoto de 7,9 graus na escala Richter de 15 de agosto no Peru, provocou a morte de seis membros da mesma família, entre eles três dos quatro filhos da morta.

Um neto de Mónica, Aly Náñez Laura, disse à Efe que chegou à igreja pouco depois do terremoto. “Sabia que encontraria ali a minha mãe”, a única dos quatro irmãos que se salvou da morte.

“Por sorte ela saiu viva, mas perdi três dos meus tios, uma sobrinha e duas consogras”, acrescentou Náñez, que vive em San Clemente, um pequeno povoado próximo a Pisco, a cidade mais devastada pelo terremoto.

Náñez encontrou os corpos de seus parentes entre os escombros.

“Havia muito mais gente, por exemplo uma senhora que estava viva com uma coluna sobre o peito, mas que não fomos capazes de levantar, por isso também morreu”, lembrou.

O seu filho de oito meses também morreu na queda de sua casa, em conseqüência do terremoto.

Segundo Aly Náñez, os mortos na igreja de San Francisco de Pisco Playa, a cerca de sete quilômetros de Pisco, foram tantos que “os caixões não foram suficientes para enterrar todos”.

Entre os parentes de outras vítimas está Sonia Poma. Moradora de Castovirreina, na região Huancavelica, vizinha à serra de Pisco, ela foi à cidade após o tremor para visitar a sua irmã.

Após percorrer um “duro caminho” por uma estrada em “mau estado” em conseqüência do terremoto de quarta-feira passada, Poma descobriu que sua irmã tinha morrido junto a duas de suas sobrinhas na igreja.

Fonte: EFE