O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, senador Magno Malta (PR-ES), anunciou que integrantes do colegiado e representantes da Polícia Federal irão à ilha de Marajó (PA), nesta quinta-feira, para ouvir as denúncias do bispo, Dom José Luiz Azcona Hermoso, e de outros dois religiosos sobre exploração sexual de crianças e prática de pedofilia na região.

O bispo aponta o envolvimento de autoridades nos crimes. De acordo com Magno Malta, os religiosos têm sido ameaçados de morte por denunciarem a exploração sexual de meninos e meninas em Marajó.

“Não aceitaremos nem nos acovardaremos frente a qualquer tipo de pressão”, assegurou Magno Malta, ao manifestar apoio à atitude corajosa de Dom Azcona Hermoso.

O senador fez o anúncio da visita a Marajó durante reunião da CPI da Pedofilia realizada nesta quarta-feira.

Fonte: Rádio Vaticano