O estado mexicano de Michoacán é palco de intensa violência, como mostra os dois incidentes seguintes.

Há cerca de um mês, a cabana usada para reuniões de uma igreja local na aldeia de Santa Fe de la Laguna foi incendiada por moradores contrários aos cristãos. Com um trator e marretas as fundações e paredes de um novo templo ainda em construção também foram destruídas, segundo um site de notícias local.

De acordo com a BBC, doze dias depois, 43 pessoas foram mortas em um tiroteio entre as forças de segurança do México e o cartel de drogas Jalisco New Generation, em Tanhuato, uma cidade localizada próxima à fronteira do estado de Jalisco.

Para Dennis, analista de perseguição da Portas Abertas, “os dois incidentes são de origens muito diferentes. O primeiro incidente pode ser categorizado como parte da fonte de perseguição que vem da liderança religiosa local. Infelizmente, expressões semelhantes de hostilidade à formas não tradicionais do cristianismo ocorrem com bastante frequência em áreas rurais do México”.

O especialista ainda explica que o segundo incidente é parte da guerra em curso entre o governo mexicano e os cartéis de drogas. Entretanto, os dois incidentes não são independentes. “Ambos são parte de uma cultura de violência que afeta o direito à moradia de todos os mexicanos. Os dois incidentes também são um reflexo da incapacidade do estado mexicano de garantir a segurança de sua população, especialmente dos grupos mais vulneráveis, que inclui os cristãos pertencentes a religiões minoritárias.”

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional [/b]