A Igreja Católica da Bengala Ocidental, Estado indiano no leste do país, está excomungando os cidadãos cristãos que organizam casamentos forçados entre menores.

“Não batizaremos as crianças de pessoas culpadas e impediremos que as famílias participem de funções religiosas”, disse Joseph Gomes, bispo de Calcutá, a capital do Estado.

Na Índia, as mulheres precisam ter 18 anos e os homens devem ter 21 para se casarem legalmente, mas os casamentos arranjados entre crianças – às vezes ainda com apenas 6 anos de idade – são freqüentes, principalmente em vilarejos onde a tradição é muito arraigada e custa mudar.

Pelo menos uma dúzia de famílias da diocese do distrito de Nadia, no sul do Estado, já foi excomungada dos sacramentos por três anos.

Gomes e outros padres da região disseram que vão multar em 3.000 rúpias (52 euros) aqueles que promoverem casamentos entre crianças e não respeitarem a lei.

A diocese, que abrange dúzias de igrejas, tem forte influência entre os cerca de 1 milhão de cristãos da Bengala Ocidental, que são uma minoria religiosa numa região de 80 milhões de habitantes.

Em dezembro, a Índia reforçou a lei contra casamentos entre menores, permitindo aos tribunais a detenção e multa de padres, policiais e líderes locais que permitirem a prática.

Fonte: Jornal da Mídia