Assembleia de Deus tem estratégia ousada para atrair cada vez mais alunos para Escola Bíblica Dominical (EBD).

A Assembleia de Deus do Bom Retiro, em São Paulo, desenvolveu um projeto a fim de incrementar o ensino. A expectativa, que pode servir de modelo para outras denominações que vivem em crise nesta área de educação, é que em três anos a freqüência salte de 350 para mil alunos.

Desenvolvido pelo superintendente da EBD, pastor e escritor, Magno Paganelli, o desejo do gestor é que os alunos tragam outros. “Temos uma frequência média de 350 alunos por domingo na EBD e cultos diariamente quando chegamos a ter mais de três mil pessoas presentes. Assim, queremos envolver todos os alunos para que convidem e tragam ao menos um novo aluno neste biênio. Em termos estatísticos, é o mesmo que trazer meio aluno em um ano. É difícil? Evidentemente que não. É até constrangedor admitir que um aluno não consiga trazer meio novo aluno num ano. Só aqui devemos dobrar o número de novos alunos para 700.”, declara.

Além de trazer mil alunos o projeto é que haja uma manutenção deste grupo. “Por isso, vamos promover visitas e acompanhamento desses alunos, para que sejam envolvidos na comunhão, apascentados.” Segundo Paganelli, o ensino, através da Escola Bíblica Dominical é o meio para se criar cristãos maduros. “Pergunte aos evangelistas de todos os tempos, aos pastores mais experientes, missionários, professores de seminários, aos vultos do passado, desde Moody no século 19 e todos eles responderão que o melhor caminho para a formação de cristãos maduros – mais que líderes – é a EBD. Eu acrescentaria que além de tudo, é o meio mais barato, o que não é pouca coisa diante da realidade brasileira.

[b]Fonte: Creio[/b]