A Igreja Luterana Costarriquenha (ILCO) consagrará no domingo, 27, o seu primeiro bispo, o pastor e sociólogo, Melvin Jiménez Marín.

A ILCO afirma que a consagração de Jiménez fortalecerá as relações ecumênicas – em particular junto à Igreja Católica-, pois permitirá que as diferentes denominações do cristianismo histórico “abracem as causas da justiça, da paz e da fraternidade: sinais do Reino de Deus entre nós”, expressou o líder espiritual.

Jiménez também afirmou que esta celebração obedece à petição das comunidades de fé luteranas que, por seu crescimento e desenvolvimento solicitam, um pastor de pastores e de uma voz orientadora em sua igreja, e para a sociedade.

Mestre em teologia, Jiménez disse que pretende, à frente da igreja, incluir e empoderar a voz das mulheres, das crianças, dos adolescentes e das pessoas com necessidades especiais. Como bispo, assegurou que se concentrará em promover uma democracia participativa entre os membros e líderes da igreja para a tomada de decisões. No papel de presidente da ILCO, Jiménez se destacou no âmbito nacional e internacional por sua ativa participação em defesa dos direitos humanos dos grupos mais vulneráveis do país.

A cerimônia de consagração será realizada no domingo, às 10h, na igreja de San José, no marco do XX Aniversário da ILCO. O evento contará com a participação de delegações e bispos luteranos dos Estados Unidos, Suécia, Alemanha, El Salvador e da Nicarágua, bem como de bispos anglicanos de El Salvador e da Costa Rica.

O futuro bispo luterano nasceu no dia 23 de junho de 1956. É pai de Gabriel, 25 anos, e de Julián, 22. Realizou estudos universitários de sociologia na Universidade da Costa Rica, e obteve o título de Mestre em Teologia pela Lutheran Teologia Seminary at Chicago, nos Estados Unidos.

Jiménez foi ordenado presbítero em 1990, e desde o ano 2000 exerceu o cargo de presidente da ILCO. Ele é fundador e diretor de seis organismos não-governamentais que trabalham na promoção da educação não formal, crédito, agricultura sustentável, economia social e direitos da infância e da adolescência.

Fonte: ALC